sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Alimentos enlatados


Este post é para atender meu amigo Lellis, que foi passar uma 
temporada na Europa (PHYNO!) e diz que está vivendo de alimentos enlatados e processados de todas as formas imagináveis.
Vou começar com os enlatados, e depois escrevo outro falando sobre os tipos de processamento, suas vantagens.. enfim!


Fiz uma busca intensa e não encontrei grandes novidades 
além do que já é de conhecimento de todos: 

os alimentos enlatados possuem grande quantidade de sódio (sal), podendo ser até vinte vezes (!!!) maior do que encontrado no alimento em sua forma natural.

Quando ingerido em excesso, este micronutriente pode aumentar a pressão arterial por aumento de volemia e do débito cardíaco, havendo aumento da resistência vascular periférica, mantendo os níveis de pressão elevados. Por isso os hipertensos devem evitar consumir este tipo de produto.

O sódio é adicionado aos produtos com a finalidade de conservação, e aparece nestas três formas: fosfato de sódio, carbonato de sódio e benzoato de sódio, entre outras.  Para o processamento de alguns produtos é utilizado apenas água e salmoura, como é o caso de milhos e ervilhas.


Entretanto, o processamento dos enlatados pode ser feito com menor teor de sódio. Infelizmente não é o que acontece com a maioria das marcas disponíveis no mercado, e por isso vale o alerta! Eu li que existem produtos que são cozidos no vapor dentro da própria lata, dispensando qualquer aditivo natural ou químico. É uma estratégia interessante, mas não consegui encontrar nenhuma marca que segue esta linha. Se alguém souber, comenta aqui e compartilha a informação! : )

As marcas mais consolidadas no mercado costumam respeitar as normas de fabricação, armazenamento e quantidade segura de inserção de conservantes.
E por falar em aditivos, os alimentos enlatados são ricos em conservantes, além de realçadores de sabor, que podem também provocar crises de gastrite em pessoas que já tem predisposição a isso.
Uma maneira de (apenas) minimizar estes problemas é retirar o produto da embalagem e deixar escorrer por uns 10 minutos. E, obviamente, eliminar a água da conserva. Fazendo isto você estará reduzindo a quantidade de conservantes e aditivos químicos.


Outra desvantagem em consumir este tipo de alimento é que ele apresenta valores inferiores de nutrientes em comparação com os frescos, principalmente as carnes e as frutas. O índice de perda de nutrientes varia de acordo com o fabricante, por isso é bom analisar bem antes de comprar! 
Há rumores de que alguns alimentos enlatados são mais nutritivos que o mesmo alimento in natura, mas o único caso que encontrei comprovação científica foi da ervilha.

Tá, mas eles também têm suas vantagens! Eles são práticos, acessíveis e apresentam longa vida de prateleira. Mas lembre-se que, após aberta a embalagem, as conservas estragam tão rápido quanto os alimentos frescos!


E pra finalizar, outro cuidado deve ser tomado na hora da compra. 
Latas danificadas apresentam riscos à saúde!
Quando estufadas, podem indicar crescimento e fermentação de microorganismos. Jamais consuma um produto com esta característica, pois pode conter Clostridium botulinum, bactéria causadora do botulismo, uma doença que apesar de rara, pode ser fatal!
Já as latas amassadas podem prejudicar a qualidade do alimento, pois o material que a constitui, quando partido, pode se misturar com o produto armazenado. Outro problema é que elas podem conter furos, deixando os alimentos expostos à luz, umidade e a poeira acumulada em prateleiras.





Nenhum comentário:

Postar um comentário