terça-feira, 14 de maio de 2013

Caqui


Enfim estou de volta!
Agradeço à todos que continuaram visitando o blog, mesmo sem eu conseguir postar nada nestas últimas semanas. :)
E prometo que agora vou publicar sobre todos os assuntos que já me pediram há (muito) tempo.. meu caderninho tá aqui lotado de ideias! 
Mas sempre tem espaço pra mais!
Podem continuar mandando sugestões!

Fonte: Teste Drive Gastronômico

O assunto de hoje é o caqui, que tem quase um mês que uma pessoinha muito especial está me pedindo.
Pois bem!

Infelizmente, não existem muitos artigos que relatam os seus benefícios, mas vou tentar juntar as informações da tabela de composição dos alimentos com meus conhecimentos nutricionais e espero conseguir um texto legal!
Originário da Ásia, o caqui difundiu-se pelo mundo e apresenta boa aceitação devido ao seu sabor.

Quando verde contém tanino, sendo amargo e adstringente; maduro tem a polpa suculenta, doce e saborosa.
Mas existem os caquis não taninosos, que podem ser consumidos logo após a colheita, como o caqui Fuyu, que são grandes e sem sementes.
Os outros tipos de caqui são os “sibugaki”, que compreende os frutos de polpa sempre taninosa e de cor amarelada, quer apresentem ou não sementes, como o caqui Pomelo; e os “variáveis”, que podem conter frutos de polpa taninosa e de cor amarelada, sem sementes e não taninosa, com uma ou mais sementes. Quando as sementes são numerosas e a polpa é de cor escura, é chamado caqui “chocolate”.

Fonte: Delboni Auriemo

Achei um guia prático para escolha do caqui, mas eu esqueci a fonte. (Desculpa!)
Caqui Rama Forte: coloração vermelha, polpa de consistência 
mole e gelatinosa;

Caqui Taubaté: coloração vermelha, polpa de consistência mole;
Caqui Giombo: alaranjado, de consistência firme e "crocante";
Caqui Fuyu: alaranjado e de consistência firme.

Mas independente da variedade do caqui, após maturação (que ocorre entre fevereiro e maio), o fruto possui grande quantidade de polpa, com alta concentração de carboidratos e compostos antioxidantes, em especial os carotenoides (veja aqui) e vitamina C. Contém, ainda, boa quantidade de potássio e manganês.

E o melhor: o caqui é RHYQUÍSSIMO em fibras
Contém 6,5g de fibras em 100g de polpa.
A maioria destas fibras são solúveis, como a mucilagem e pectina, que são responsáveis pela aparência característica da polpa.
Existe um mito de que o caqui é uma fruta calórica, mas esqueçam. Dependendo da variedade, pode conter até 80% de água em sua composição!

Fonte: Combate o Câncer

Em síntese, o caqui apresenta componentes que auxiliam no tratamento de doenças crônico-degenerativas, como o câncer e 
doenças cardiovasculares.
Vi um estudo com ratos que tinham a dieta suplementada com caqui e mostrou que a fruta exerce efeito antioxidante no organismo do animal. Este fato foi atribuído ao conteúdo relativamente elevado de polifenóis. Atualmente, sabe-se que antioxidantes, especialmente substâncias fenólicas, presentes em abundância em frutas e verduras, também podem prevenir a peroxidação lipídica, responsável pelo desenvolvimento de 
aterosclerose coronariana.
Então vamos comer caqui!

Fonte: M de Mulher

Na hora da compra, deve-se dar preferência a caquis sem rachaduras, firmes e de cor uniforme. Depois, devem ser guardados em geladeira ou lugar fresco onde se conservam por até cinco dias 
(o ponto negativo é que são altamente perecíveis).

O ideal é consumi-lo in natura,mas você pode saboreá-lo na forma de suco, geleias, doces, bolos, compotas e muito mais.
Para finalizar, vou deixar uma receitinha ultra laxante! Haahahhaa
Você nunca mais vai reclamar que seu intestino não funciona!
Anotem aí!

Fonte: Click Grátis

Ingredientes
2 copos (americano) de suco de laranja natural
1 caqui
3 ameixas secas

Preparo
Deixe as ameixas de molho em água para amaciar, retire os caroços e bata tudo no liquidificador. Coloque gelo à gosto.

Espero que tenham gostado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário